Após fim da proibição, primeiras Bíblias chegam a Cuba

1275 visualizações Comments
biblia-cuba

Governo comunista afrouxa, mas não acaba com perseguição religiosa.

Embora o governo cubano sempre tenha afirmado que a população possui liberdade de culto, o fato é que, desde o golpe militar que impôs o comunismo na ilha, os cristãos sempre foram perseguidos.

Depois de quase 50 anos de proibição, exemplares da Bíblia voltaram a entrar livremente no país.

Os evangélicos de Cuba têm experimentado um grande crescimento e por isso existe uma grande demanda. Estima-se que seriam necessários 1 milhão de exemplares para atender a todos os pedidos feitos pelos pastores cubanos.

Dentro do processo de abertura parcial e reaproximação com os EUA, o governo cubano está fazendo um programa experimental que pode ser interrompido a qualquer momento – se a distribuição “criar muitos problemas”. Analistas acreditam que seja resultado da pressão americana para que se assegurem os direitos humanos básicos, isso incluiria uma maior liberdade religiosa.

No início deste mês chegou o primeiro carregamento enviado pela Junta Internacional de Missões, da Igreja Batista do Sul, maior denominação americana. Ao todo, foram entregues 83 mil bíblias para cerca de 1.000 igrejas em toda a ilha.

“Nós sabemos que as igrejas as receberão com alegria. Estamos muito felizes pelo que está acontecendo e damos graças a Deus”, disse um dos obreiros cubanos ao canal CBN, que acompanhou a distribuição.

“É um privilégio que Deus nos dá o poder levar Bíblias para as igrejas, onde há tanta necessidade”, afirmou outro entrevistado.

Um dos líderes de igreja que recebeu várias caixas com as Escrituras, comemorou. “Estamos agora no processo de distribuir essas bíblias o mais rapidamente possível, para que cheguem às nossas igrejas. A erva murcha, as flores caem, mas a Palavra de Deus permanece para sempre”, asseverou, citando o texto de 1 Pedro 1.25.

Perseguição continua

Essa vitória não significa que os evangélicos cubanos se viram livres de perseguições. Segundo a revista World Mag, o governo dos irmãos Castro continua negando permissão para que se construam templos religiosos.

O caso mais recente é o da Igreja Batista Maranata, localizada no extremo leste da ilha. Ela congrega mais de 800 fiéis e precisa fazer diversos cultos no domingo para atender a todos.

Há anos aguardam permissão para ampliar o templo. Para sua surpresa, as autoridades cubanas não só negaram a licença de construção, mas anunciaram recentemente que o governo está “requisitando” a propriedade que pertencia à Convenção Batista desde 1947. O pastor Amado Ramírez Oliveros, líder da Maranata explica que eles terão de desocupar o local ou terão de pagar uma taxa (aluguel) para continuar usando o espaço que lhes pertence.

Diversas organizações missionarias que trabalham em Cuba relatam que mais de 100 igrejas estão enfrentando uma “ação de despejo” similar. Em alguns casos, não bastam as ameaças de confisco, avisam que os prédios serão demolidos.

Segundo relatórios da organização Christian Solidarity Worldwide, que apoia a Igreja Perseguida, a perseguição em Cuba continua alta. Foram 220 registros de violação de Liberdade religiosa em 2014. Para efeitos de comparação, em 2013 foram 180, em 2012, 120 e apenas 40 em 2011.

Os dados incluem desde a detenção sem motivo de pastores, até espancamentos de líderes, chegando até a interdição e a demolição de templos.

Gospel Prime
Artigos Relacionados